segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Cavalaria de linha portuguesa da Guerra Peninsular - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Cavalaria de linha portuguesa da Guerra Peninsular feitos com base Revell

A cavalaria de linha portuguesa que combateu durante a Guerra Peninsular, vulgarmente conhecidas como "invasões napoleónicas", mas que, efectivamente, devem incluir os combates que as forças nacionais travaram em Espanha e no Sul de França, resultou do extenso processo de reorganização da responsabilidade do general Beresford.

Tal como o restante Exército Português, a cavalaria foi reorganizada e devidamente treinada, equipada e armada para combater ao lado das forças inglesas, compatibilizando tácticas de modo a que a coordenação permitisse que agissem como se de um único exército se tratasse.

Os cavaleiros dos 12 regimentos de linha portugueses tinham um uniforme simples, com uma casaca curta azul ferrete, calças justas brancas no Inverno e azuis no Verão, botas de montar e o célebre capacete Tarleton, semelhante ao usado pela artilharia inglesa.


Image Hosted by ImageShack
Carga da cavalaria de linha portuguesa da Guerra Peninsular

Mais tarde, os capacetes Tarleton foram substituidos por comuns barretinas, tipo "stowepipe", e as botas de montar deram lugar a modelos curtos, sendo esta alteração efectiva a partir de 1812, mas pode ter demorado algum tempo a ser implementada, sobretudo se nos lembrarmos que nessa altura havia regimentos de cavalaria portugueses a combater em Espanha.

O equipamento e armamento eram, na sua maioria, fornecido pelos ingleses e incluiam um sabre, duas pistolas em coldres presos na sela e um mosquete pendurado numa correia a tiracolo.

Não existe nenhum fabricante de miniaturas que produza figuras dos cavaleiros de linha portugueses desta época em plástico na escala 1/72, mas o uniforme de origem britânica é muito semelhante ao dos "Life Guards", produzidos pela Revell, com as diferenças mais evidentes a nível do capacete, botas e sela dos cavalos.
Enviar um comentário