segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Montagem do Mk II da Airfix - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
As peças do modelo da Airfix

Apresentamos num texto anterior o tanque britânico da 1ª Guerra Mundial produzido pela Airfix e vendido como sendo o Mk I, quando, efectivamente, está muito mais próximo da versão Mk II.

Já nos debruçamos sobre alguns dos problemas deste "kit", produzido na escala 1/76, que continua a ser o único em plástico a partir do qual se pode obter, com algumas modificações e pequenos defeitos, como o exagerado número de rebites, as versões "Male" dos primeiros carros de combate a entrar em acção, mas agora vamos acompanhar a montagem deste modelo cuja produção inicial tem largas dezenas de anos.

Ao contrário de muitos modelos de carros de combate da Airfix, este "kit" tem comparativamente poucas peças, facto que é obtido devido aos rodados, suspensões e sistemas de suporte das lagartas serem compostos de apenas um par de peças cada, mas continua a exibir algumas das características deste fabricante, como o algo exagerado número de peças necessárias para montar os canhões laterais.


Image Hosted by ImageShack
Primeira fase da construção do "kit" da Airfix

O primeiro passo na montagem deste "kit" é decidir se vamos optar pelo Mk I ou pelo Mk II e se vamos usar apenas as peças incluidas na caixa, eventualmente com pequenas improvisações, ou se optamos por adquirir uma das conversões da Matador Models, que permite converter o tanque na versão Mk I de rádio e na versão Mk II Female.

Qualquer das conversões da Matador, com preços que andam pelas dez a doze libras mais portes, é substancialmente mais dispendiosa do que o "kit" da Airfix, que custará umas quatro a cinco libras, pelo que se deve equacionar se o investimento na conversão de um modelo que possui alguns erros e, para os puristas, é feito na escala 1/76 e não na 1/72 efectivamente se justifica.

Sem adquirir qualquer conversão, o aspecto final do modelo será semelhante ao que apresentamos, podendo, quando muito, variar a nível do sistema de escape, de uma caixa na rectaguarda, de uma rede anti-granadas ou em termos de pintura, decoração e finalização.
Enviar um comentário