sábado, 8 de novembro de 2008

O Cromwell da HaT - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
Foto do Cromwell da HaT

Para corrigir esta falha, recorremos à mesma técnica que usamos previamente em modelos como o PzKfw III, o StuG III ou o SU-85 do mesmo fabricante e colamos uma pequena tira de cartolina onde deveria existir a parte do rodado interior que está mais saliente e em contacto com a lagarta.

Para os leitores que não conheçam este processo, aconselhamos a reler os artigos referentes aos modelos mencionados no parágrafo anterior, sobretudo as fotos do PzKfw III, onde é possível ver como foi modificado o rodado de forma a reproduzir mais fielmente o do veículo real.

Após este primeiro passo, algo trabalhoso, mas que consideramos essencial, a montagem do Cromwell é simples, mas implica alguns cuidados a nível da torre, concretamente no posicionamento correcto dos paineis laterais, de modo a que estes apresentem uma superfície contínua e estejam devidamente nivelados no topo.


Image Hosted by ImageShack
Vista lateral do Cromwell da HaT

A pintura do Cromwell segue os mesmos princípios de outros modelos, com um primário em cor negra, após o que se recorre à técnica de pincel seco, com camadas sucessivamente mais claras, de modo dar maior visibilidade aos detalhes e obter o acabamento em tons esverdeados comum nos carros de combate ingleses da época.

A finalização inclui a pintura das zonas negras dos rodados, que necessitam sempre de ser retocadas, das lagartas, em tom de castanho avermelhado e de diversos detalhes, podendo-se optar por uma aguada negra, muito diluida, de modo a uniformizar o acabamento do modelo.

O Cromwell é um dos melhores modelos da HaT, talvez o primeiro de uma nova geração que inclui praticamente os detalhes de um "kit" convencional, apenas com a diferença a nível dos rodados que, para praticantes de jogos de guerra ou para quem pretende mair velocidade de construção, será uma óbvia vantagem.
Enviar um comentário