terça-feira, 19 de maio de 2009

O Mk A Whippet da Emhar - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
O Whippet da Emhar depois da montagem

Nesta altura, optamos por pintar alguns detalhes, como as lagarta, no mesmo tom dos escapes, que retocamos com um pouco de prateado ligeiramente escurecido nos locais mais salientes, e as metralhadoras, que foram pintadas em cinzento metalizado, aproveitando ainda as mesmas mituras para pincelar ligeiramente na zona dos motores e na parte inferior do veículo.

O passo seguinte é o de dar a cor base ao modelo, que será pintado num verde médio, usando uma tinta algo espessa e a técnica de píncel seco, tendo o cuidado de evitar manchar em demasia a zona das lagartas ou cobrir na totalidade o negro que delimita alguns dos relevos.

Pode-se agora finalizar a montagem, colando as quatro peças que constituem os escapes e as suspensões, de modo a que todo o processo de montagem fique concluido e se possa tomar as decisões relativas ao processo de finalização e ao veículo que se irá reproduzir.


Image Hosted by ImageShack
O Whippet da Emhar após colocação dos decalques

Optamos por uma das versões inglesas, em detrimento das menos coloridas decorações russa e japonesa, sobretudo porque estes Whippet participaram em combates e ostentavam as faixas de identificação em branco e vermelho que conferem um aspecto final mais colorido ao modelo.

Se nos modelos anteriores, um Mk IV e um Mk V que convertemos, as faixas foram pintadas à mão, com resultados que consideramos muito positivos, no caso do Whippet decidimos recorrer aos excelentes decalques fornecidos com o "kit", que, com algum trabalho, aderem perfeitamente à superfície do modelo, necessitando apenas de serem ajustados e pressionados com uma esponja, de modo a que cubram de forma adequada pequenas saliências, como rebites ou escotilhas.

Mas se, por um lado, o recurso a decalques facilita em muito a tarefa de adicionar as faixas de identificação, por outro tem o inconveniente de resultar numa zona cujo brilho é diferente da restante pintura, sendo absolutamente necessário cobrir toda a área com verniz fosco ou com uma mistura de tinta muito diluida, assumindo o risco de, recorrendo a este último método, poder fazer descolar o decalque.
Enviar um comentário