terça-feira, 26 de maio de 2009


Image Hosted by ImageShack
A quinta da batalha de Waterloo da Airfix já montada

Para quem pretenda algo mais deste modelo, existe a opção, trabalhosa, que usamos no castelo medieval da Faller e que consiste em passar um pouco de tinta negra entre as pedras e ir retocando com branco, usando um píncel quase seco, para repor as linhas divisórias.

Outra possibilidade é a de dar uma aguada com tinta negra e limpar o excesso com um pano ou um lenço de papel, após o que o conjunto seria retocado com branco como anteriormente descrito.

Pode também optar-se por usar um pouco de cola branca e polvilhar algumas zonas com uma mistura de pó, erva electrostática e mesmo pequenas pedras, de modo a esconder algumas imperfeições que são mais aparentes nas zonas de encaixe das peças ou mesmo na parte inferior para os que não usarem uma base para fixar o modelo.


Image Hosted by ImageShack
A quinta da batalha de Waterloo junto de um conjunto de cavaleiros

Logicamente, esta maquete pode ser utilizada para outros fins, como uma quinta genérica semelhante às existentes em numerosos países europeus desde o século XVIII e até à actualidade, sendo possível, inclusivé, usar mais do que um modelo para construr um conjunto de edificações mais complexo.

Esta quinta, por razões de ordem prática e de durabilidade deve ser colada numa base, opção que a Airfix fez no seu conjunto da batalha de Waterloo, sendo esta a nossa opção dado dispormos de uma segunda base, para além daquela que foi usada no conjunto que inclui a Coastal Defense do mesmo fabricante e cuja preparação descrevemos ao longo de diversos textos.

Assim, num texto posterior detalharemos quer a decoração da base, quer a colocação da quinta e a sua integração com outros elementos decorativos opcionais que podem ser obtidos nas lojas de modelismo ou improvisados a partir de peças sobrantes de outros modelos.
Enviar um comentário