sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Papel de decalques - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Decalques impressos sobre um Spad XIII português

A necessidade de transformar modelos ou construir versões originais, bem como a de substituir decorações danificadas ou complementá-las quando incompletas, tem sido um problema com o qual nos temos deparado.

Uma alternativa a que temos recorrido tem sido a impressão de pequenos elementos mais complexos em papel fotográfico, recortá-lo e colá-lo sobre uma superfície pintada ou decorada com fragmentos de decalques.

Esta técnica foi utilizada no Spad XIII em versão portuguesa que já apresentamos, sendo visível nos escudos portugueses, impressos por uma impressora de jacto de tinta, que foram colados com verniz sobre um decalque que reproduz as cores nacionais.


Image Hosted by ImageShack
Decalques impressos sobre um Spad XIII

Após envernizar todo o conjunto, o elemento impresso em papel passa relativamente desapercebido, mesmo em termos de alteração da superfície e pode ser considerado como uma solução a ter em conta quando estamos diante de áreas pequenas e com alguma irregularidade.

O mesmo processo que utilizamos pode ser útil para reproduzir logotipos ou emblemas que fiquem um pouco salientes no original, como o emblema de marca de um veiculo, mas existem limitações se for um decalque de grandes dimensões sobre uma superfície lisa.

Por exemplo, para imprimir um logotipo não existente no mercado ou uma frase sobre o modelo de um automóvel, que tende a no original ser pintado sobre uma superfície lisa, o decalque tem que ser francamente menos espesso do que o papel de impressora, devendo ser idêntico ao dos decalques convencionais.
Enviar um comentário