segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Os caçadores portugueses da Armies in Plastic - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Caixa e algumas das figuras dos caçadores portugueses

Os batalhões de caçadores do exército português distinguiram-se particularmente nos combates da Guerra Peninsular, os quais se prolongaram pelo Sul de França e terminaram com a rendição e exílio de Napoleão.

Estas unidades de infantaria ligeira eram consideradas pelos aliados britânicos como das melhores a combater na Península, tendo em muitas ocasiões sido integradas em unidades inglesas de maior dimensão e armadas com a espingarda Baker, uma arma destinada apenas a um conjunto selecionado de combatentes.

Ao contrário dos mosquetes, como a célebre "Brown Bess" que equipava as unidades de infantaria, a espingarda Baker era uma arma precisa para os padrões da época, com cano estriado, capaz de permitir fogo certeiro contra alvos individuais.


Image Hosted by ImageShack
Os caçadores portugueses com primário

Recrutados sobretudo entre quem tivesse experiência de caça e de tiro, os batalhões de caçadores foram aumentando em número durante a Guerra Peninsular, acabando por serem formados 12 batalhões, nos quais foram integrados também os elementos da antiga Leal Legião Lusitana.

A Armies in Plastic lançou vários conjuntos genéricos de infantaria ligeira, baseados no célebre regimento 95th Rifles inglês, seguindo-se o do King of Germany Legion e, finalmente, o dos caçadores portugueses que acabam por ser as mesmas figuras em diferentes embalagens.

Obviamente, apesar das semelhanças, existem óbvios erros, que consideramos absurdos na escala de 1/32, mas esta é a única representação dos caçadores portugueses, com excepção do mau conjunto da Odemars, nas escala 1/72 e antes de a Emhar lançar os seus na mesma escala.
Enviar um comentário