segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Os caçadores portugueses da Armies in Plastic - 4ª parte

Image Hosted by ImageShack
Conjunto de caçadores portugueses depois de finalizados

Seguem-se todos os pequenos detalhes, que vão desde os botões e punho da espada ou do sabre-baioneta, em dourado, a bainha, em prateado, ou o punho, que segundo umas fontes será em castanho, e segundo outras em negro.

Finalizamos delimitando algumas transições, como a separação entre os punhos e as mãos, ou as correias, com uma linha em preto, para o que diluimos um pouco a tinta, que é aplicada com um píncel fino.

Dado que o plástico em que estas figuras são moldadas não é o ideal para pinturas, optamos por adquirir no EBay inglês um conjunto de bases redondas, de 50 mm, da Games Workshop, sobre as quais colamos estes caçadores usando um misto de cola de contacto, no dentro, e cola instantânea nas bordas.

Image Hosted by ImageShack
Conjunto de caçadores portugueses depois de finalizados

Seguidamente usamos um pouco de pasta de modelismo para fazer desaparecer a saliencia da base da figura, após o que cobrimo a superfície com cola branca, sobre a qual vamos espalhando uma mistura de pó, pequenas pedras e erva.

Neste caso, por uma facilidade, de modo a que a tinta não saia com a manipulação das figuras, optamos por não pintar a superfície lateral das bases, limitando-nos a limpar pequenas manchas, ficando assim com a cor negro acetinado original, que contrasta bem com o amarelado da superfície superior.

Estas não são, obviamente, figuras ao nível do que de melhor se faz actualmente, seja a nível da qualidade esculptórica, seja no baixo rigor histórico, algo de inevitável quando o mesmo conjunto representa unidades com fardamentos diferentes, mas continuam a ser a única representação nesta escala das famosas unidades de Caçadores, consideradas pelo Duque de Wellington com das melhores presentes na Guerra Peninsular, ao nível do que de melhor existia no exército britânico.
Enviar um comentário