segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A cavalaria inglesa da HaT da 1ª Guerra Mundial - 2ª parte

Image Hosted by Google Cavalaria inglesa da HaT da 1ª Guerra Mundial

Seguidamente, tal como fazemos sempre, todas as figuras e acessórios são pintados em preto fosco, recorrendo a tinta acrílica da Citadel, a qual servirá como primário, para além de uniformizar o tom do plástico e de corrigir pequenas irregularidades derivadas de marcas do molde.

A pintura dos cavalos segue o método habitual, idêntico ao descrito anteriormente em tantos outros conjuntos, tendo neste caso que se acrescentar as mantas, uma à frente, outra atrás da sela, para o que existem pinos e orifícios de localização, bem como a bandoleira em torno do pescoço da montada.

Os arreios são em cabedal, de cor castanha, tal como a sela e o coldre para a espingarda, sendo o freio em metal, tal como as fivelas, estribos e marmita, enquanto as mantas e outros tecidos são pintados em khaki, no tom acastanhado a que nos habituamos a ver as forças inglesas deste periodo.

Image Hosted by Google Cavalaria inglesa da HaT da 1ª Guerra Mundial

Estas figuras são simples de pintar, dado que o uniforme apresenta uma cor acastanhada na sua totalidade, pelo que o mais adequado é o de recorrer ao método de ir pincelando com uma tonalidade sucessivamente mais clara, realçando assim os detalhes e dando-lhes uma maior profundidade.

Efectivamente, os detalhes mais evidentes das figuras são a cor da pele, a mais contrastante, bem como o vermelho das insígnias de posto do oficial, algumas correias e o metal de armas, botões ou insígnias, mas todo o resto acaba por ser todo em diversos tons de castanho, por vezes algo idênticos.

Naturalmente que, quando existe uma cor dominante e relativamente poucos pontos contrastantes, os detalhes adquirem uma especial importância, pelo que devem ser realçados tanto quanto possível, mas sem exageros, podendo ser reforçados com uma pequena linha divisória em preto que fará o efeito de uma sombra.
Enviar um comentário