sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Figuras 1/72 e 1/76 em maquetes de aeródromos

Devemos chamar a atenção para o facto de muitos dos modelos e figuras destinados a serem colocados em aeródromos ou bases aéreas, nomeadamente os produzidos pela Airfix, serem-no na escala 1/76 e não na escala 1/72, comum aos modelos de aviões, de onde pode resultar uma descrepância visível aos olhos dos mais experientes.

Muitos argumentam que esta diferença de escala, que em termos lineares fica pelos 5%, de 22 para 24 milímetros nas figuras, é insignificante, e tal é aceitável quando estamos diante de figuras, que reproduzem pessoas que, na escala real, facilmente têm essa diferença de altura, mas quando se trata de veículos, que têm outra dimensão e esta é padronizada, ou seja, é uniforme para um dado modelo, o problema é mais complexo.

Mais do que esta diferença de 5% em termos lineares, no comprimento, por exemplo, e que num modelo pequeno pode ser difícil de notar sem uma comparação directa, a variação em termos de volumetria, que se aproxima dos 20%, torna-se relevante, sobretudo em modelos de maior dimensão, podendo resultar numa franca incompatibilidade, a qual pode ser agravada pelo posicionamento dos vários elementos num dado cenário.

Seguindo este princípio, caso existam modelos de veículos na escala 1/76 em conjunto com aviões na escala 1/72, a nossa sugestão é que sejam colocados a uma distância maior do observador, por exemplo, na zona posterior do cenário, o que contrbuirá para uma maior sensação de profundidade, com a redução da dimensão face ao esperado a dar ideia de uma maior distância.

Relativamente às figuras, uma das possibilidades é colocá-las sobre um elemento do cenário, como um estrado para trabalhos no avião, um veículo ou uma simples caixa, pequena elevação ou base mais espessa, ou ocultar parte do corpo, sendo o mais fácil as pernas, o que impede de ver toda a dimensão da figura, pelo que a ideia de que é inferior ao que devia se perde ou se revela menos intuitivo.

Finalmente, nem sempre os fabricantes são realmente rigorosos com as escalas, e entre a escala nominal, seja 1/72, seja 1/76, e aquela em que o modelo é realizado podem existir diferenças que as aproximem ou distanciem, sendo que no primeiro caso, por vezes a compatibilidade é quase absoluta enquanto no segundo se verifica, pura e simplesmente, a impossibilidade de uma coexistência, tal a diferença de dimensões e o absurdo que tal descrepância gera.
Enviar um comentário