quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O F-4D "Phantom" da Ixo - 2ª parte

No que podemos considerar a sua configuração final, os "Phantom" podiam transportar uma enorme variedade de carga externa, incluindo bombas de diversos tipos em lançadores triplos ou sextuplos, tanques descartáveis extra ou mísseis ar ar, a uma velocidade que excedia o dobro da velocidade do som e com uma autonomia que lhes permitia manter a superioridade aérea em todo o Vietnam.

Com pequenas alterações, os "Phantom" mantiveram-se ao serviço até aos anos oitenta, transitando cada vez mais para missões de reconhecimento ou destruição de sistemas anti aéreos, até serem substituídos por modelos muito mais recentes, como os F-15 "Eagle", que representam uma nova geração de aviões.

O modelo da "Ixo", vendido pelas colecções Salvat ou Altaya, dependendo do país, reproduz a versão D utilizada durante a guerra do Vietnam e equipado para a intercepção e combate aéreo, pelo que o seu armamento consiste nos dois conjuntos de mísseis adequados a este tipo de missão, sendo complementados por um par de depósitos de combustível descartáveis, omitindo qualquer tipo de bombas.

A pintura é a mais comum deste período para a Força Aérea, com um esquema de dois tons de verde e outro de castanho nas superfícies superiores e laterais e em cinzento claro na parte inferior, com as insígnias nacionais de pequenas dimensões e matrículas em branco, acrescendo insígnias de unidade e os diversos avisos ou informações sempre presentes nos aviões militares.

Toda a decoração está correcta e bem posicionada, incluindo a maioria dos avisos, mas é notório que alguns, de menor dimensão, estão em falta, enquanto, em contrapartida, estão presentes as marcas de aviões inimigos abatidos e algumas das pinturas extras que muitas tripulações gostavam de incluir como insígnias pessoais, tal como o nome do avião.

Também alguns encaixes deixam algo a desejar, sendo patente as uniões de algumas peças, sobretudo entre a superfície superior das asas e a fuselagem, com os modelos a serem construidos de forma algo inconsistente, do que resulta uma qualidade irregular, também patente na pintura, com alguns modelos a exibir um brilho algo artificial, semi brilhante, quando devia ser quase fosco, dado ser esta a opção de origem da Força Aérea e como consequencia do desgaste resultante das operações em ambientes hostis.
Enviar um comentário