quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

O Messerschmitt Bf 109G-6 da Revell na escala 1/32 - 2ª parte

O "kit" inicial da Revell é de construção simples, a moldagem é de muito boa qualidade, as peças encaixam bem umas nas outras e os detalhes presentes são excelentes para a época, sem que daí resulte uma maior complexidade, pelo que este é um modelo que pode ser montado por modelistas pouco experientes.

Naturalmente que o início terá que ser pelos dois conjuntos internos, nomeadamente o motor Daimler Benz DB 605A, sobre o qual se encontram as duas metralhadoras MG 131, de 13 milímetros, cuja dimensão obrigou a alterar o exterior, resultando as famosas "bossas" nesta versão dos Bf 109.

O famoso motor de 12 cilindros invertido era exteriormente em cor negra e metal, suportado por braços metálicos, de cor mais clara, que integrava o conjunto na fuselagem do avião, mas o uso prolongado, muitas vezes em condições extremamente agrestes, acabavam por resultar num negro algo fosco, com zonas onde fugas de óleo e combustível se podiam notar.

Também será de pintar e montar o hélice, um conjunto igualmente simples, onde o cone, nesta versão, é vermelho, enquanto as pás são negras, tal como o canhão de 30 milímetros que dispara através do veio, e o sistema de regulação do passo é em cor metálica, verificando-se, após concluido, se encaixa correctamente no bloco de motor.

O interior dos Bf 109 era pintado em cinzento esverdeado, com instrumentos e controles em negro, estando presentes linhas de combustível e hidráulicas em amarelo e azul, não oferecendo dificuldades, para além do painel, onde convém pintar adequadamente os mostradores, de modo a que as marcações fiquem visíveis.

Mais complicado, pelas piores razões, é a figura do piloto, composta de duas peças, uma correspondente à parte da frente e outra à de trás, que, para além de pouco detalhado, peca por ser demasiado plano, ficando numa pose muito pouco natural, com os braços estranhamente encostados ao corpo em vez de interagir com o avião.
Enviar um comentário