sexta-feira, 13 de maio de 2016

O "Brummbar" da Esci - 2ª parte

Foram efectuadas diversas tentativas de melhoramento, passando pela redução de peso, com efeito positivo na fiabilidade, e, a partir de Setembro de 1944, deixou de ser aplicada "zimmerit", a pasta anti-magnética que impedia a fixação de minas na blindagem, com as últimas séries do "Brummbar", que elevaram a produção para um total de 306 unidades, a apresentarem um melhor desempenho, apenas penalizado pela escassez de meios e a falta de tripulações treinadas que então condicionava o exército alemão.

O modelo da Esci, posteriormente reeditado pela Italeri, já tem algumas décadas, mas continua a ser dos melhores que, na escala 1/72, reproduzem este blindado, tendo um conjunto de detalhes que, na época do seu lançamento, o colocavam entre o que de melhor então se fazia.

Nesta altura, a Esci tinha abandonado as lagartas numa única peça flexível, substituindo-as por um conjunto de peças que reproduzem os vários elos e que acompanham de forma muito mais realista os contornos dos rodados, resultando num aspecto final muito superior, se bem que para tal seja necessário bastante mais trabalho e o modelo resulte mais frágil, dada a maior complexidade e número de peças.

Tal como a maioria dos "kits" da Esci, a montagem inicia-se pela parte inferior do chassis, que deve ser pintada após concluída, seguindo-se os rodados, que devem ser colados em posição depois de devidamente pintados e retocados, num processo simples mas moroso, onde a maior atenção são a geometria e os alinhamentos.

Nesta altura devem-se colocar sobre os rodados, colando, as várias peças individuais que compõe as lagartas, que previamente foram pintadas em vermelho acastanhado, sendo de começar pela peça de maiores dimensões, que fica na parte inferior, e seguidamente ir colando as restantes, de modo a fechar a lagarta, tendo atenção à orientação dos elos e ao respectivo alinhamento.

Esta é, indubitavelmente, a parte mais trabalhosa, que pode ser algo fastidiosa, sendo de efectuar os retoques deste conjunto antes de passar à montagem da superestrutura, a qual envolve menos peças, concentrando-se numa peça de grandes dimensões que reproduz a parte superior, na qual são sucessivamente coladas as peças de menores dimensões e o próprio canhão.
Enviar um comentário