segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Maquete com componentes eléctricos - 2ª parte

Entre as casas produzidas, encontra-se um conjunto composto por um par de pequenas casas rurais russas, adequadas para uma aldeia ou quinta, de montagem muito simples, dado serem compostas, no total, por apenas 17 peças, pelo que se finalizam em escassos minutos, se excluirmos pintura e acabamentos.

Mesmo a pintura é extremamente simples, bastando aplicar algumas pinceladas em tons de castanho nas zonas que imitam madeira, e em tons amarelo escuro nas que representam colmo, depois de todo o conjunto ter sido pintado em negro, que também serve de primário.

Podem-se adicionar alguns pequenos detalhes, como vidros nas janelas, feitos em plástico transparente e colados no interior, ou adicionar as chaminés, pintadas de negro, sobre o qual se adiciona cinzento no relevo, dando assim a ideia de serem feitas em pedra, mas todos estes pequenos melhoramentos são rápidos e acessíveis a todos os modelistas.

A Pegasus, para além deste conjunto de duas casas, tem uma terceira edificação compatível, vendida separadamente, com características distintas, de maiores dimensões, com dois pisos, mas de construção semelhante, reproduzindo de forma similar as paredes em troncos de madeira e o telhado em colmo.

É, ainda, possível adquirir estas miniaturas, tal como muitas outras deste fabricante, nomeadamente figuras, já finalizadas, devidamente pintadas o que, sendo bem mais prático para quem apenas pretenda o modelo finalizado, implica pagar um valor bem mais elevado, que pode resultar pouco convidativo para muitos.

Como referimos anteriormente, para além de equilibrarem um cenário, permitindo servir de fundo, eventualmente complementado por algumas árvores ou outros elementos cénicos, uma casa tem outras vantagens, nomeadamente a de permitir alojar no seu interior uma bateria capaz de proporcionar energia a pequenas luzes ou a um pequeno motor, que possa ser incluido, por exemplo, numa miniatura de avião a hélice.
Enviar um comentário