quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Maquete com componentes eléctricos - 3ª parte

Actualmente, um micro motor eléctrico pode ser adquirido por um par de Euros, sendo suficientemente pequeno para ser colocado no interior de um modelo de avião, mesmo um na escala 1/72, bastando encaminhar um par de fios, por exemplo ao longo do trem de aterragem, mas também de forma visível, disfarçados de mangueiras de abastecimento de combustível ou num local mais escondido, muito perto do solo, de modo a serem ligados a uma simples pilha, para que o hélice rode.

A mesma pilha pode alimentar uma pequena luz, a ser posicionada no interior da casa, de forma a que seja esta luminosidade a iluminar, mesmo que parcialmente o cenário, podendo-se assim compor cenas bastante mais dinâmicas e realistas, sem que daí resulte um acréscimo substancial do preço final do conjunto que, tal como noutros casos, se baseia na reciclagem de peças ou sobras.

A base do cenário foi feita a partir da base de um modelo de automóvel, na escala 1/18, mas abrimos uma passagem, recortando um rectangulo numa delas, de modo a que, após colar a casa no local escolhido, o interior desta seja acessível pela base, de forma a que seja possível colocar uma lâmpada e o respectivo suporte, bem como ligações eléctricas para o exterior.

Dado que foi necessário remover uma pequena plataforma, decidimos tapar parte do buraco resultante com a caixa para as pilhas, deixando o interruptor na parte superior, num local discreto, que pode ser ocultado, enquanto as pilhas serão substituídas por baixo, recorrendo a um rectângulo de plástico para tapar o restante espaço aberto.

É de notar que, antes de se proceder à colagem da casa sobre o cenário, pode-se prender no seu interior o alojamento da pilha, o suporte da lâmpada e proceder a todas as ligações eléctricas para o exterior, sempre tendo em atenção que estes componentes devem ser acessíveis, de modo a ser possível trocar a pilha quando esta se gastar e a lâmpada, caso esta se funda.

Para posicionar correctamente a casa, dado que a base tem alguma inclinação, construímos uma pequena plataforma nivelada para esta, recorrendo a folha de plástico e usando restos de peças para fazer suportes interiores, de modo a obter a posição pretendida, fazendo umas pequenas encostas com plástico expandido, que foi colado com cola de contacto e recoberto com cola branca, uniformizando a superfície.
Enviar um comentário