sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Maquete com componentes eléctricos - 4ª parte

Colocamos, igualmente, algumas pequenas irregularidades no terreno, usando o mesmo material e forma de fixação, tendo ainda aproveitado algumas sobras para tapar pequenas aberturas existents na base e que se destinavam a suportar a caixa de cartão original, de modo a obter uma base consistente e com alguma resistência física.

Com a casa no respectivo local, depois de esperar 24 horas para que todo o conjunto seque, pode-se passar à finalização do terreno, pintando-o em tom de areia ou terra e recobrindo-o outra vez com cola branca, sobre a qual largamos pequenas pedras, sobretudo nas encostas, e pó, que irá reproduzir o terreno.

Pode-se adicionar algumas árvores, sempre tendo em conta as dimensões, que deverão ter entre 10 a 15 centímetros de altura, de modo a compor um pouco o fundo, para o que é necessário furar a base nos locais pretendidos, processo que se deve seguir para estacas ou postes, sendo este o processo mais adequado para uma fixação sólida e duradoura.

É sempre de colocar alguns pequenos items, como caixas, bidões, ou reservatórios, quase sempre presentes em aeródromos, podendo-se acrescentar algumas figuras em poses e zonas neutras, guardando-se para mais tarde aquelas que dependem do posicionamento do avião ou interagem com este, bem como elementos de maior volume que possam condicionar toda a cena.

Preferencialmente, deve também ser possível refazer as ligações eléctricas, pelo que a cablagem deve ter alguma folga, de modo a que seja possível efectuar pequenas reparações puxando os componentes para o exterior, razão pela qual sugerimos recorrer a conectores de mola presos com velcro, esse sim devidamente colado com cola de contacto, para fixar os componentes em vez de proceder a uma colagem defenitiva que, naturalmente, tem todo um conjunto de inconvenientes fáceis de intuir.

Outro detalhe a ter em atenção é a voltagem de operação, que deve ser comum ao motor e à lâmpada, bem como a outros dispositivos eléctricos, o que pode implicar que dentro do suporte fique não uma, mas duas pilhas, do que resulta um volume superior, bem como algumas características diferentes a nível de funcionamento e do próprio aquecimento dos componentes.
Enviar um comentário