segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Arado Ar 196 da Airfix - 2ª parte

Com 50 anos de existência, datando de 1966, o modelo da Airfix é antigo e incorpora as qualidades e defeitos características dos "kits" produzidos então por este fabricante, com detalhes simplificados e diversas peças móveis, sendo fornecido com decalques para duas versões e incluindo alguns opcionais, como as figuras da tripulação e um par de bombas SC50.

Não obstante algumas limitações típicas de então, bem como o facto de todas as superfícies estarem cobertas de rebites, o "kit" está bem moldado, com as peças a encaixarem correctamente, e as linhas estão correctas, reproduzindo as caraterísticas e especificidades deste hidroavião, permitindo uma montagem fácil e sem grandes problemas.

O primeiro passo é, naturalmente, a pintura do interior, simplificado, mas com os principais elementos e que, com a tripulação, fica relativamente composto, bem como a do motor radial e do hélice, elementos que irão preencher o interior da fuselagem, devendo ser colados de um dos lados, após este ser pintado em verde, cor usada no interior dos aviões militares alemães, com os paineis de instrumentos a serem pintados em cor negra.

As figuras, representem elas militares da Luftwaffe ou da Kriegsmarine, usam o mesmo tipo de uniforme de voo, em cor castanho claro, com botas em negro, e os coletes de salvação, que no caso alemão tinham uma configuração diferente da destas figuras genéricas da Airfix, que se aproximam mais dos uniformes ingleses, era em amarelo, destinados a facilitarem a localização de quem caísse no mar.

As armas, tal como o motor, são em negro metalizado, enquanto os paineis de instrumentos e comandos são em negro, tal como o hélice, enquanto o cone, depende do avião exacto a reproduzir, sendo proposto que seja pintada a ponta em vermelho, com a zona posterior em cores tão variadas como o amarelo, verde ou negro.

Nesta fase, e após pintar e instalar todos os componentes que ficam no interior, incluindo o decalque do painel de instrumentos, pode-se colar as duas metades da fuselagem e o "capot", com o motor e hélice devidamente instalados, devendo-se fazer desaparecer as linhas de união com um pouco de betume e lixa fina.
Enviar um comentário