sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O T-34 76 da Zvezda na escala 1/35 - 1ª parte

A evolução dos carros de combate soviéticos durante o final da década de 30 e até meados da década de 40 foi verdadeiramente impressionante, partindo de um conjunto de modelos ultrapassados ou com defeitos evidentes e terminando nalguns dos melhores tanques de sempre, com características e conceitos verdadeiramente inovadores que foram copiados por todos os beligerantes.

Já nos debruçamos sobres o BT, enquanto modelo individual, mas voltamos a eles como parte de uma cadeia evolutiva onde este modelo, hoje algo desconhecido e negligenciado, teve uma importante influência, não apenas pelas suas características positivas, mas também pela forma como os defeitos foram reconhecidos e corrigidos em modelos posteriores.

Com uma tripulação de apenas 3 elementos, onde um conduzia, outro municiava e o terceiro apontava a peça, o comando do carro de combate, a operação do rádio, a coordenação de outros veículos, no caso de comandantes de unidade, a diversidade e complexidade das tarefas penalizavam o desempenho colectivo dos BT, com os seus sucessores a passarem a ter uma tripulação mais numerosa.

Tal implicou, naturalmente, redesenhar todo o veículo, de modo a obter um interior mais espaçoso, pelo que a largura teve que ser aumentada, o que permite igualmente que o anel onde assenta a torre seja de maior diametro, essencial para uma torre de maiores dimensões, onde uma peça mais volumosa possa ser instalada.

Com base nas experiências anteriores, foram desenvolvidos diversos protótipos, com motores diesel a substituir os anteriores motores a gasolina, que, após várias fases e aperfeiçoamentos, deram origem ao conhecido T-34, que veio complementar e depois substituir os anteriores modelos, cada vez menos capazes de enfrentar os adversários alemães.

No entanto, e apesar das suas limitações, os BT mantiveram-se em uso durante grande parte da guerra, em missões cada vez mais secundárias e número sucessivamente mais reduzido, tendo virtualmente desaparecido da frente de combate a partir de 1944, altura em que a produção dos T-34 e os IS permitia dispensar modelos mais antigos.
Enviar um comentário