quarta-feira, 5 de outubro de 2016

O Messerschmitt Bf 109G da Hasegawa - 4ª parte

O polimento da tinta de esmalte aplicada em "spray" pode ser feito de várias formas, desde a simples lixa fina até ao vulgar "polish" usado nos automóveis, mas sempre depois de aguardar mais de uma dúzia de horas, essencial para que a secagem seja completa, única forma de evitar reações químicas indesejadas que facilmente comprometem todo o esforço realizado.

Num dos aviões com esta finalização que podemos apreciar em fotos, as pontas das asas e o leme vertical eram brancos, tal como as insígnias nacionais laterais, dado que na parte superior das asas parecem ausentes, estando presente uma banda vermelha em torno da fuselagem, a mesma cor do número "8" que identificaria o avião dentro da unidade.

Na cauda, para além da suástica negra, estavam presentes as marcações dos aviões inimigos abatidos, pintados no leme, com o restante a ser preenchida, segundo algumas fontes, com arabescos brancos, a mesma cor utilizada para pintar uma espiral no cone do hélice, de cor negro, sendo estas, para além das cruzes inferiores, em negro, as únicas insígnias presentes, já que os sinais de aviso desapareceram com o polimento de que resultou a remoção da pintura.

O principal interesse deste "kit", e o que levou a adquirir o modelo, foi reproduzir o Bf 109 pilotado pelo Oblt. Kurt Gabler, do III./JG300, numa rara finalização, uma das poucas em que um avião alemão não era pintado com um padrão de camuflagem, algo que tinha sucedido durante a Guerra Civil em Espanha e voltou a suceder no final da 2ª Guerra Mundial, quando a urgência de enviar alguns aparelhos para a frente de combate resultou na omissão da pintura, sendo esta situação mais frequente com os caças a jacto Messerschmitt Me 262.

No caso dos Bf 109 utilizados no período intermédio da guerra, só mesmo um muito pequeno grupo, que integrava uma unidade incumbida com a missão de estudar e testar soluções de intercepção de aviões rápidos a alta altitude, tinham este tipo de finalização, existindo muito pouca documentação fotográfica de algo que está documentado nos relatos de alguns dos pilotos do que foi conhecido como o "Karaya Staffel".

Obviamente, este modelo não é o que actualmente melhor reproduz o Bf 109G, perdendo para muitas alternativas mais recentes, mas, quando adquirido a este preço, e destinado a um projecto específico, não temos dúvidas quanto ao valor deste "kit" da Hasegawa, cujo resultado final não desmerece o famoso avião que reproduz.
Enviar um comentário