segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O Messerschmitt 163 "Komet" da Hasegawa na escala 1/32 - 2ª parte

Aterrando sobre um patim central, retraído durante o voo, que possui os encaixes para o pequeno trem de aterragem utilizado durante a descolagem e largado após esta, o "Komet" exigia cuidados especiais, sobretudo a nível da completa limpeza de reservatórios e câmara de combustão, dado que os próprios resíduos podiam resultar numa explosão.

A volatilidade e instabilidade dos dois tipos de combustível, tipo "C" e "T", utilizados, a complexidade do abastecimento e eventuais falhas na limpeza dos circuitos, destruíram mais "Komet" do que o fogo inimigo, o que demonstra o perigo inerente a um avião cujos pilotos usavam equipamentos de voo especiais como forma de os proteger contra o contacto ou mesmo com os simples vapores do combustível.

Ao contrário do habitual, optamos por um "Komet" na escala 1/32, feito pela Hasegawa desde os anos 70, e que reproduz muito correctamente este pequeno avião, que na habitual escala 1/72, quando comparado com outro caça, é extremamente pequeno, sobretudo em termos de comprimento, pelo que muitos dos modelos disponíveis não apresentam um conjunto de detalhes adequados.

Mesmo na escala 1/32, o "kit" do "Komet" não é grande, e o modelo da Hasegawa acaba por ser bastante simples, tal como o avião real, sendo de montagem muito simples, com destaque para um excelente "cockpit" onde todos os detalhes estão presentes, incluindo comandos, instrumentos e controles, e para o motor, visível quando se remove a parte posterior da fuselagem.

Os dois primeiros passos são a pintura e montagem do interior, nas típicas cores dos aviões de combate alemães do final da guerra, em tons de cinzento, com paineis, instrumentos e controles em negro e marcações dos mostradores em branco, estofos e cintos de segurança em castanho e alguns botões, como o de disparo, em vermelho, e o ajuste do leme em tom de metal, tal como fivelas do cinto ou algumas marcas de desgaste.

Apesar de manter muito de comum com modelos mais antigos, o "cockpit" do "Komet" é manifestamente mais moderno, com um parabrisas blindado, um excelente sistema de pontaria e um novo assento que nalguns casos era ejectável, uma inovação alemã que, no caso deste avião, era essencial, como única segura forma de abandonar a aeronave em caso de necessidade.
Enviar um comentário